27 de jul de 2011

Posicionamento Pastoral ao ato do Padre Cássio

Posicionamento Pastoral ao ato do Padre Cássio

A Pastoral da Juventude da Diocese de Presidente Prudente manifesta solidariedade aos Irmãos e Irmãs de fé e caminhada da Pastoral da Juventude e Juventude Missionária de Regente Feijó, que comprometidos com a causa do Cristo Libertador, evangelizam a Juventude, valorizando o seu protagonismo na busca da Civilização do Amor. Entretanto foram impedidos pelo Padre José Cássio Siqueira, de utilizarem o espaço comunitário da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, para reunião semanal.
O fato ocorreu na noite do dia 24 de Julho de 2011.
Quando os jovens chegaram ao local para realizarem o encontro, o vigia disse que havia recebido ordens do Padre para não permitir a entrada da Juventude no Centro Comunitário.
Há mais de 10 anos os grupos desenvolvem trabalhos no local, segundo os membros não encontram motivos para o ocorrido. Sem respostas, procuraram pelo Padre que não quis recebê-los.
O trabalho de evangelização da juventude deve ser priorizado conforme mostra as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil - CNBB (2011-2015), conforme item 81 do documento:
81. Atenção especial merece os nossos jovens. A beleza da
juventude e os inúmeros desafios para a plenitude de sua
vida exigem urgentes iniciativas pastorais nas diversas
instâncias de nossa ação evangelizadora.
Não permitir o trabalho dos jovens na comunidade é não apenas ir contra as diretrizes da CNBB, mas ser contrario aos sinais do Reino é inviabilizar o dialogo fraterno entre o clero e os leigos, ou seja, estabelecer uma relação onde o leigo está submisso as ordens do clero, impossibilitando a experiência de uma Igreja de comunhão e igualdade.
Em sintonia com a Campanha Nacional Contra a Violência e Extermínio de Jovens, e baseado em princípios morais que pregamos a partir do próprio Evangelho de Justiça, Verdade e Igualdade repudiamos este ato. Somos contra qualquer tipo de ação arbitraria que interfira no jeito jovem de ser Igreja, contudo somos favoráveis ao dialogo fraterno, para que possamos vivenciar a maturidade da fé, que nos permite corrigir e também sermos corrigidos, como Irmãos e Irmãs em Cristo, sem opressores ou oprimidos.
Somos a favor de uma Igreja libertadora, de respeito mútuo e de transformação social.
“Tenho que andar, tenho que lutar, ai de mim se não o faço! Como escapar de Ti? Como não falar? Se Tua voz arde em meu peito!”





Pastoral da Juventude
 Diocese de Presidente Prudente

Nenhum comentário:

Postar um comentário